Mergulho Scuba

Mergulho Scuba

Mudar linguagem para Inglês
Mudar linguagem para Espanhol
Mudar linguagem para Português
Tartaruga - André Seale
Mergulho Fernando de Noronha - André Seale
Golfinhos Fernando de Noronha - André Seale
Fernando de Noronha - André Seale
Piau 3 pintas no Rio da Prata - Ismael Escote
parrotfish - Fernando de Noronha - André Seale


Artigos


25/06/2009 - 10h26

Saiba como manter a flutuabilidade durante um saída de mergulho

 
 

A+

A-

Altera o tamanho da letra

Uma das grandes diferenças entre um mergulho tranquilo e um "dive stress" é o controle de flutuabilidade. O desgaste físico, consumo de ar, facilidade de deslocamento e curtição dependem, em grande parte, desse fator. É de dar inveja observar como algumas pessoas parecem ter absoluto domínio sobre o próprio corpo no ambiente aquático, equalizando a qualquer profundidade e ângulo, sem o menor esforço.

O controle de flutuabilidade é considerado uma das técnicas mais difíceis no aprendizado do mergulhador. Desde o primeiro curso, o aluno já aprende o conceito do "Princípio de Arquimedes", onde todo o corpo imerso em um líquido sofre a ação de uma força vertical, em sentido oposto, com intensidade e peso igual ao volume do fluido deslocado. Em outras palavras, se o peso for maior que o volume deslocado, o objeto afunda, e vice-versa.

Quando a equação peso/volume se estabiliza (fica igual), chega-se ao céu do mergulho, você fica neutro, estável. Nesta situação o esforço com deslocamento e estabilidade praticamente desaparecem, garantindo economia ar, menor cansaço, evitando contatos involuntários com objetos e levantamento de suspensão.

Tudo bem, agora que ficou bem claro que o negócio é se equilibrar direito, como fazer tal façanha?

Vários fatores influenciam a flutuabilidade: volume corporal, uso de roupas isotérmicas, equipamentos, ambiente do mergulho, profundidade, etc. Antes vamos estabelecer alguns termos: "positivo" é a tendência a flutuar; "negativo" é afundar; e "neutro" é a estabilidade.

O corpo humano tem uma tendência natural a flutuar, nossos pulmões funcionam como uma bóia, pois estão cheios de ar. Por este motivo é necessário utilizar um cinto de lastro, para ajudar a afundar, e colete o equilibrador para facilitar a flutuação.

O lastro pode ser colocado no cinto, nas pernas, no cilindro (próximo à cabeça), nos tornozelos e no próprio colete equilibrador. O colete, se for o caso, fica ajustado ao tronco, sendo inflado e desinflado conforme a necessidade.

Se você mergulha em apnéia somente com o equipamento básico, composto de máscara, snorkel, nadadeira, está fácil. O ajuste ideal, uma vez alcançado, não vai variar muito em função de fatores externos.

Se estiver utilizando roupas isotérmicas, o volume deslocado vai aumentar, o que requer mais peso para afundar. Daí entra uma variável a mais; a roupa, normalmente feita de borracha de neoprene, diminui de volume em função da pressão, alterando a equação (aliás, o seu corpo também varia de volume). Quanto mais grossa a roupa, maior será a variação em função da profundidade.

Os cilindros são outro problema. Os de alumínio são negativos quando estão cheios, tornando-se positivos conforme o ar vai acabando, o que altera o equilíbrio hidrostático ao longo do mergulho. Os de aço normalmente são neutros ou um pouco negativos quando vazios. Outros equipamentos, como nadadeiras, lanternas, caixa estanque e máquinas fotográficas também influenciam o comportamento do mergulho.

Para compensar estas variáveis, o uso correto do lastro e do colete equilibrador são fundamentais. O colete permite ajustar o volume interno de ar em função dos fatores descritos anteriormente. Escolha o colete que forneça a flutuabilidade desejada com o menor volume possível.

Vamos agora passar aos procedimentos de ajuste. A primeira coisa é achar um local calmo para fazer as suas experiências. Pode ser uma piscina ou um local abrigado em rio, lagoa ou mar. Leve em conta que existe uma grande diferença entre mergulhar em água doce e salgada, a tendência de flutuação é muito maior na segunda.

Ajuste do lastro necessário para o seu corpo

Coloque seu equipamento básico (máscara, snorkel, nadadeiras, roupa) e entre na água. Relaxe e tente se manter na superfície, sem bater os pés, respirando pelo snorkel e olhando para a frente. Peça para alguém ir passando as peças de lastro para você até que a água esteja na altura dos olhos. Quando atingir o ponto ideal será possível afundar um pouco cada vez que expirar o ar. Se o seu objetivo for mergulho livre, boa viajem.

Ajuste do colete

Coloque o colete com o cilindro cheio e montado (regulador, octopus, console). Esvazie o colete e verifique se fica neutro. Se tudo estiver certo, você vai ficar ligeiramente negativo quando expirar, caso contrário faça ajustes no lastro.

Vá para o fundo, onde provavelmente ficará negativo. Deite de barriga e inspire profundamente, a parte superior do seu corpo deve flutuar um pouco, caso contrário adicione um pouco de ar no colete. O ideal é, com os pés encostados no chão e o tronco ligeiramente inclinado para a frente, o corpo subir um pouco quando se inspira e descer quando se expira.

Outros fatores influenciam a flutuabilidade, a posição do mergulhador é um deles. O ângulo e a inclinação do corpo alteram a distribuição do peso, consequentemente o comportamento da flutuação. Ajuste a colocação dos lastros (no cinto, colete, tornozelos e cilindro) até achar um ponto ideal para se manter na posição desejada.

Agora que você se tornou uma pessoa mais equilibrada , relaxe e aproveite ao máximo o prazer de um mergulho tranquilo e confortável, sem precisar fazer aqueles malabarismos e evoluções estranhas dentro da água.

Regras básicas

• Quanto mais fundo, mais negativo você fica, e vice-versa;
Controle o ar nos seus pulmões para ajudar no controle de flutuabilidade;
Nunca use mais lastro do que o necessário;
Distribua os pesos de forma homogênea no cinto e no colete;
Na água salgada, a flutuabilidade é muito maior do que na água doce;
O controle de flutuabilidade nunca é definitivo, exigindo ajustes constantes.

www.scubadiver.com.br

Com informações do mergulhador Lucio Magalhães

A reprodução integral ou parcial de textos e fotos deste portal somente é permitida com créditos para o autor e link para a página de onde foi transcrito. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial das fotos das galerias sem a autorização prévia dos fotógrafos, os quais estão devidamente creditados nos nomes das galeriasCaso você seja autor de alguma imagem ou texto publicados neste site e deseja remoção ou correção, clique aqui para preencher o formulário de solicitação.


Receba nossa NewsLetter
Name:
E-mail:
Código de segurança:
->